Header Ads

Últimas Notícias
recent

Paraíba já registrou 30 Casos da Guillain-Barré/Confira uma reportagem da TV Paraíba sobre o caso em Campina Grande:


Mais um caso da síndrome de Guillain-Barré foi diagnosticado na Paraíba. A vítima, uma cozinheira de 41 anos, é moradora da cidade de Campina Grande. Ela foi diagnosticada com zika vírus – doença derivada da dengue - no início deste mês e, após duas semanas, teve os braços e as pernas paralisados. Ela tem teve várias dores de cabeça.
De acordo com Joseane da Silva, que é irmã dapaciente, a cozinheira passou por tratamento clínico e que está se recuperando em casa. Ela terá acompanhamento de um neurologista e será submetida a sessões de fisioterapia.

Na semana passada, a Secretaria de Estado da Saúde, por meio da Gerência Executiva em Saúde,divulgou a situação epidemiológica da Síndrome Guillain-Barré no Estado. Ao todo, entre janeiro de 2010 a maio de 2015 foram registrados 30 casos da doença, sendo que 17 foram a óbito e 13 conseguiram sobreviver.

Entenda a doença
A síndrome de Guillain-Barré, também conhecida por polirradiculoneuropatia idiopática aguda oupolirradiculopatia aguda imunomediada, é uma doença do sistema nervoso (neuropatia) adquirida, provavelmente de caráter autoimune, marcada pela perda da bainha de mielina e dos reflexos tendinosos. Ela se manifesta sob a forma de inflamação aguda desses nervos e, às vezes, das raízes nervosas.

Em geral, a moléstia evolui rapidamente, atinge o ponto máximo de gravidade por volta da segunda ou terceira semana e regride devagar. Por isso, pode levar meses até o paciente ser considerado completamente curado. Em alguns casos, a doença pode tornar-se crônica ou recidivar.

Não se conhece a causa específica da síndrome. No entanto, na maioria dos casos, duas ou três semanas antes, os portadores da síndrome manifestaram uma doença aguda provocada por vírus. A hipótese é que essa infecção aciona o sistema de defesa do organismo para produzir anticorpos contra os micro-organismos invasores. No entanto, a resposta imunológica é mais intensa do que seria necessário e, além do agente infeccioso, ataca também a bainha de mielina dos nervos periféricos.

O sintoma preponderante da síndromede Guillain-Barré é a fraqueza muscular progressiva e ascendente, acompanhada ou não de parestesias (alterações da sensibilidade, como coceira, queimação, dormência, etc.), que se manifesta inicialmente nas pernas e pode provocar perdas motoras e paralisia flácida. Com a evolução da doença, a fraqueza pode atingir o tronco, braços, pescoço e afetar os músculos da face, da orofaringe, da respiração e da deglutição.
WSCOM Online
Tecnologia do Blogger.