Header Ads

Últimas Notícias
recent

Rei das lambretas? Petrucio lembra passado no futsal: "Tentava imitar Falcão"


A velocidade que deu ao paraibano Petrucio Ferreira o status de recordista mundial começou a ser lapidada em outra modalidade. Deficiente físico desde os dois anos de idade, quando perdeu parte do braço esquerdo ao ferir-se com uma máquina de moer capim, o velocista de 20 anos tentou a sorte no futsal antes de migrar para as pistas na adolescência. Na quadras, Petrucio se definia como um esforçado ala, que fazia de tudo para imitar as jogadas do melhor jogador de futsal de todos os tempos, o craque Falcão, com quem Petrucio sonha encontrar pessoalmente um dia. O paraibano é um dos 25 convocados do Brasil para o Mundial de Atletismo Paralímpico, que começa nesta sexta, em Londres.
- Sempre fui um apaixonado por futebol e futsal. Gostava mais de campo, mas pintou uma oportunidade no time de futsal da minha cidade, então eu passei a jogar quadra. Cheguei até a participar de um Intercolegial antes de ir para o atletismo. Como todo garoto que joga futsal, me inspirava muito no Falcão. Assistia a muitos vídeos dele e tentava imitá-lo em quadra. Toda jogada eu tentava dar um elástico ou uma lambreta, meus colegas de time até reclamavam disso (risos). Posso dizer que fui um ala esforçado - disse o corredor, natural de São José do Brejo do Cruz (PB). 

Torcedor do São Paulo, Petrucio teve em Falcão a sua primeira inspiração como atleta. Só que não foi com um drible e jogada de efeito que o paraibano mudou de vida. Muito veloz desde a infância, Petrucio chamou a atenção de um técnico de atletismo durante uma partida de futsal em Cartolé do Rocha, também na Paraíba. Em pouco tempo, o esforçado ala já estava se destacando pelas pistas do país.
- Uma das coisas que eu sempre falava para os meus pais quando era mais novo é que um dia eu representaria o meu país numa competição internacional. Achava que isso pudesse ser no futsal ou futebol, mas foi acontecer no atletismo. Coisas da vida - comentou. 

A ascensão do paraibiano no atletismo paralímpico foi meteórica. Depois de ser campeão dos 100m dos Jogos Escolares de 2013, Petrucio foi convocado para a seleção de jovens pela primeira vez, passando a participar de competições internacionais. Já no adulto, o velocista atingiu o ápice no ano passado ao conquistar três medalhas na Paralimpíada do Rio (ouro nos 100m, prata nos 400m e no revezamento 4x100m classe T42-47), torando-se recordista mundial nos 100m (10s57) e 200m (21s49).
- A convocação para a seleção de jovens foi a minha primeira viagem de avião. Aquilo me marcou. Foi quando conheci São Paulo, treinei com os melhores do país e chamei a atenção de todos com os meus tempos - recordou. 
 
Petrucio atualmente mora em João Pessoa e, esporadicamente, viaja a São Paulo para treinar no Centro de Treinamento do Comitê Paralímpico Brasileiro. Numa das idas à capital paulista, o velocista conseguiu assistir a um São Paulo x Corinthians no Morumbi. Depois, ainda foi ao CT Tricolor conhecer as dependências do clube e se encontrar com o ídolo Rogério Ceni, demitido do cargo de treinador na última segunda.
- Foi um momento bem especial. Não tem jeito, apesar de eu estar no atletismo, o futebol segue como paixão. Tive emoção parecida quando conheci o Ronaldinho Gaúcho e o Neymar. Sou fã dos dois também. Gosto do estilo ousadia e alegria deles - explicou.

Tecnologia do Blogger.